“I Am Alive” é jogo por download e chega para PS3 e X360 no final do ano

Este slideshow necessita de JavaScript.

Com o perdão do trocadilho, “I Am Alive” finalmente provou que está vivo. Depois de vários adiamentos, a produtora Ubisoft anunciou que o jogo chega às redes do Xbox 360 e PlayStation 3 no final do ano. Nada foi dito sobre o preço do download.

“I Am Alive” apresenta uma visão única em um cenário pós-apocalíptico e no gênero de sobrevivência por criar situações complexas e que mexem com o emocional do jogador. O Xbox Live Arcade e a PlayStation Network são os locais perfeitos para alavancar as experiências desafiadoras do jogo”, disse Adam Novickas, diretor de marketing da Ubisoft.

Com esse anúncio, a Ubisoft acaba voltando atrás na ideia de que “I Am Alive” não seria lançado por download. Depois de um engano, o site JeuxVideo, que deu a notícia de que o jogo seria lançado digitalmente, teve que pedir desculpas aos leitores – ao que tudo indica, sem motivo.

Revelado durante a E3 2008, “I Am Alive” conta a história de Adam Collins, sobrevivente de um terrível terremoto na cidade de Chicago que tenta encontrar sua mulher e filha. Com um grande foco na parte emocional dos personagens, o jogador deverá guiar Collins nesta luta pela sobrevivência, encontrando mantimentos e tentando lidar com outras pessoas que farão de tudo para se manterem vivos no meio deste caos. Itens serão escassos, seja uma arma de fogo com munição ou uma garrafa de água.

Fonte: Uol Jogos
Anúncios

No PC, “L.A Noire” roda em máquinas modestas; veja os requisitos

Anunciada há pouco mais de três meses, a versão para PC de “L.A. Noire” já tem data para chegar às lojas e aos canais de distribuição digital Steam e OnLive: 8 de novembro. O valor do jogo é de US$ 49,99.

A Rockstar Games também aproveitou a ocasião para anunciar que a versão para computadores encarta um código que permite o download de todos os adicionais para o jogo, bem como os requisitos de sistema para rodar o game:

REQUISITOS DE SISTEMA PARA “L.A. NOIRE”

Sistema operacional: Windows 7, Windows Vista com SP 1, Windows XP com SP 3 e OnLive para PC ou Mac
Processador: Intel Dual Core 2.2GHz a Quad Core 3.2GHz ou AMD Dual Core 2.4GHz a 3.2GHz
Memória: de 2GB a 8GB
Espaço em disco: 16GB
Placa de vídeo: GeForce 8600 GT 512MB a GeForce GTX 580 1536MB ou Radeon HD 3000 512MB a Radeon HD 6850 1024MB
Som: compatível com DirectX 9

Investigação de crimes em Los Angeles

“L.A. Noire” se passa na Los Angeles de 1947, na qual o jogador deve resolver os mistérios por trás de uma série de assassinatos brutais. O protagonista é Cole Phelps, policial que tem a missão de limpar as ruas da cidade dos crimes. O agente tem que lidar com uma força policial corrupta, do mais baixo ao mais alto escalão, assim como algumas “coisas bem ruins” que ele mesmo fez durante a Segunda Guerra Mundial.

A mecânica de jogo básica em “L.A. Noire” envolve a resolução de casos através de um mix de investigação, depoimentos e interrogatórios, pacíficos ou nem tanto. Os sistemas de depoimentos e interrogatórios são uma parte interessante do game, pois fazem uso da tecnologia de animação facial “revolucionária”, segundo a Team Bondi, responsável pela produção do game.

O jogo já conta com versões para PlayStation 3 e Xbox 360.

Fonte: GameVício

Microsoft começa a produzir console do Xbox 360 no Brasil

A produção no Brasil deve reduzir em 40% o preço para o consumidor final.

imagem

A Zona Franca de Manaus vai começar a produzir 17 mil consoles de videogame por semana. O produto, para mercado interno, faz parte da plataforma para jogos eletrônicos Xbox 360 da companhia norte-americana Microsoft e será montado no Brasil pela fábrica chinesa de produtos eletrônicos Flextronics. O anúncio oficial foi feito nesta terça-feira no Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação.

A produção do console Xbox 360 no Brasil deve reduzir em 40% o preço para o consumidor final. O produto já montado no Brasil começa a chegar ao mercado no dia 5 de outubro.

Para o governo, a produção do console em território brasileiro é resultado das políticas adotadas para atrair fabricantes de tecnologia da informação (TI), como os incentivos fiscais para a instalação de fábricas de computadores em forma de prancheta (tablets). O console deverá cumprir o mesmo processo de nacionalização previsto para os tablets, disse à Agência Brasil o secretário de Política de Informática, Virgílio Almeida.

O governo tem utilizado a isenção de impostos (por meio da Lei do Bem, da Lei de Informática e do programa Brasil Maior) para o desenvolvimento de sistemas de informática no Brasil e acenado com outros incentivos para a instalação de fábricas de circuito integrado, displays e outros componentes de microeletrônica.

Até o final do ano, o Centro Nacional de Tecnologia Eletrônica Avançada, empresa estatal ligada ao ministério, deverá começar a produzir, na fábrica em Porto Alegre, chips dedicados (circuitos integrados de aplicação específica) para rastreamento de boi.

“Nós devemos buscar as indústrias portadoras do futuro”, disse Virgílio Almeida, durante o anúncio da fábrica de games. Segundo ele, o país tem interesse em receber investimentos, como o da indústria de jogos eletrônicos, uma vez que eles geram empregos qualificados e atraem força de trabalho jovem. “É um setor simbólico no sentido de inovações e oportunidades.”

Segundo o secretário, o governo e a Microsoft preparam uma pareceria para desenvolver o “ecossistema de TI”: aumentar a formação de recursos humanos para a criação de softwares, design gráfico e tecnologias de interação e interface eletrônica. A parceria poderá incrementar o programa Ciência sem Fronteiras e levar estudantes brasileiros das áreas de exatas a centros de tecnologia da empresa no exterior.

Além da parceria com a Microsoft e a Flextronics, o governo já anunciou a instalação, no Brasil, do novo centro de pesquisa global da companhia General Eletric e o funcionamento do centro de pesquisa da empresa IBM, ambas de capital norte-americano.

Na opinião do secretário-executivo do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, Luiz Antônio Elias, a ambiência de negócios no Brasil e o mercado interno pesam na decisão das empresas estrangeiras de se instalarem no país.

O déficit da balança comercial para os produtos de TI e de telecomunicações no ano passado foi de cerca de US$ 19 bilhões. O investimento em pesquisa e desenvolvimento no setor no Brasil é de 0,1% do Produto Interno Bruto (PIB), dados de 2005. Ranking global divulgado hoje aponta o Brasil em 39º lugar em competitividade em TI.

Primeiros detalhes de Dead Space 3

Apesar de Dead Space 3 não ter sido oficialmente anunciado pela Electronic Arts, isso não quer dizer que não comecem os rumores sobre o seu enredo.

As primeiras informações vêm do Siliconera, que afirma serem verdadeiras, pois são da mesma fonte que já divulgou Syndicate meses antes do anúncio oficial, e imagens de outros jogos Dead Space.

É referido (spoiler) que o novo jogo terá lugar num planeta gelado, chamado de Tau Volantis.

O protagonista do jogo continua a ser Isaac Clarke, que cai no planeta após um desastre da sua nave.

Isaac não viajava sozinho, por isso vai em busca de sobreviventes, e refugia-se numa estação, onde encontra um sobrevivente quase morto, que lhe conta que outros sobreviventes estão noutra estação.

Um desses sobreviventes é a personagem Ellie, do primeiro Dead Space, e por isso Isaac veste um fato para se proteger da tempestade e vai ao encontro das outras instalações.

Existe uma nova personagem neste jogo, chamada de Jennifer, que Isaac encontra mais tarde, juntamente com Ellie. Os três vão para o cima de uma montanha, embora Jennifer não esteja muito interessada.

Jennifer está interessada em encontrar um codex e planos para que possa efetuar engenharia reversa das pesquisas de um grupo chamado de Rosetta.

Enquanto sobem ouvem um uivo na parte debaixo da montanha e não sabem o que é.

O site afirma que os inimigos em Dead Space 3 são referenciados como “mente colmeia”.

Dead Space 2 foi muito bem recebido pela crítica, e a ser verdade, teremos um novo jogo de terror em pleno chão firme.

Fonte: Game Vicio

30 anos de Super Mario

imagem

O encanador mais querido de todos os tempos completou 30 anos no dia 13 de Setembro e é claro que não deixariam essa data passar em branco. Vão ser os 18 minutos e 19 segundos mais nostálgicos do seu dia.

Fonte: Sopreocartucho

A Game of Thrones – Genesis chega aos PCs pegando carona no sucesso da série e dos livros

Baseada na série de livros Crônicas de Gelo e Fogo, de George R.R. Martin, a série de TV Game of Thrones é um dos maiores hits dos últimos tempos. Além da audiência consolidada e dos prêmios arrebatados, a série vai entrando no imaginário popular de espectadores de todo o mundo graças ao seu enredo forte e cheio de reviravoltas.

Depois dessa bem sucedida adaptação do livro para a Tv, chegou a vez dos games receberem a visão da história contada por Martin em seus livros.

Em A Game of Thrones – Genesis, os gamers e fãs poderão fazer parte de uma trama jamais contada pela série ou pelos livros através de um jogo de estratégia repleto de intrigas e traições, características marcantes na história original.

Com um roteiro escrito sob a supervisão do próprio autor dos livros, o game recebeu nesta semana um novo trailer que mostra um pouco mais deste universo.

Produzido pela Cyanide Studio e distribuído pela Focus Home Interactive, A Game of Thrones – Genesis tem seu lançamento no ocidente programado para o próximo dia 29 de setembro e chega para os PCs via download digital e também em lojas físicas.

Confira o novo trailer:

Fonte: Gameworld

Coringa aparece com visual Debilitado em novo Trailer de Batman Arkham City

Após ter sido o responsável pelos acontecimentos de Batman: Arkham Asylum, o Coringa estava meio desaparecido em Arkham City. Após vários outros vilões terem sido anunciados, a pergunta que ficou no ar era: por onde anda o palhaço? A Rocksteady decidiu não apenas responder, como também liberou um novo trailer que mostra o que aconteceu com ele após ter sido derrotado pelo Homem Morcego.

O vídeo Secrets of the Joker foi divulgado com exclusividade pela MTV e mostra o Cavaleiro das Trevas chegando ao esconderijo de seu arqui-inimigo. Lá, ele é recepcionado por Arlequina, que informa ao herói que seu chefe está seriamente doente. Em seguida, vários capangas surgem em cena e uma série de combates se inicia.

Contudo, o grande destaque vem em seguida, com o vilão surgindo. Apesar de manter o mesmo visual do game anterior, Coringa traz em seu rosto a marca de sua misteriosa doença: sua pele está cheia de estranhos ferimentos, possivelmente um efeito colateral da toxina Venom que ele usa no final de Arkham Asylum.

Fonte: GameVicio

Em português, “Diablo III” terá Casa de Leilões com venda de itens por dinheiro real

Se depender da Blizzard, a chegada de “Diablo III” – ainda sem data conhecida, infelizmente – vai dar o que falar: semana passada a empresa reuniu jornalistas de todo mundo em sua sede, nos Estados Unidos, e revelou a Casa de Leilões, serviço que vai permitir aos jogadores comprar e vender itens livremente, por dinheiro de verdade.

No Brasil, “Diablo III” chegará totalmente em português, mas a Blizzard não confirma o lançamento simultâneo, argumentando que a localização é trabalhosa devido à enorme quantidade de diálogos para traduzir. Além disso, a empresa também não disse se o país terá uma Casa de Leilões local baseada em reais (R$) – o plano B seria uma Casa de Leilões baseada em ouro do jogo.

Com a Casa de Leilões, a Blizzard espera coibir o “mercado negro”, tão comum em “Diablo II”, quando itens eram comercializados em sites de leilão. Curiosamente, não haverá qualquer restrição ao número de ofertas de compra e venda diárias por jogador, o que significa que se alguém quiser comprar “Diablo III” e (tentar) viver do comércio dentro do jogo, poderá fazê-lo sem problemas.

“Na verdade, nem mesmo nós sabemos ao certo o que vai acontecer [com a Casa de Leilões]”, confessa Jay Wilson, diretor de “Diablo III”. Tudo poderá ser vendido por lá, de itens e armas até mesmo o próprio ouro do game. “O que queremos, basicamente, é oferecer um recurso útil aos jogadores, que sentíamos que eles queriam”.

Obviamente, a Blizzard terá a fatia dela: há uma taxa (a ser definida) paga por cada conteúdo vendido. Além disso, há também uma taxa para listar o produto, ou seja, colocá-lo em local diferenciado em relação aos demais. “É uma forma de separar itens comuns dos realmente raros”, explica Jay.

Os jogadores ficam anônimos durante as transações e, uma vez concretizada uma venda, o dinheiro vai para a conta do vendedor na Battle.net e há duas opções: utilizar os créditos em jogos e itens da Blizzard ou utilizar um meio de pagamento terceirizado (ainda a ser definido, conforme as regiões) para transferir o dinheiro para uma conta bancária, por exemplo. No segundo caso, haverá cobrança de taxa pela operação.

Ainda há muitos detalhes a serem definidos sobre a Casa de Leilões, como questões de câmbios e como o sistema vai funcionar em diferentes regiões do globo. Dê uma olhada no guia que a Blizzard preparou para tentar solucionar as principais dúvidas dos jogadores.

Conheça os guerreiros de Diablo III:

– Bárbaro:

O que ele mais gosta é de virar tudo de cabeça para o alto e nada o faz mais feliz que uma boa batalha. É especialista em combates corpo-a-corpo e conta com diversas Skills brutais para dizimar os oponentes. É uma boa classe para jogadores principiantes, pois tem força e resistência desde o início.

– Feiticeiro:

É a classe dos “pets”: ele conjura aranhas, cobras, sapos, zumbis e coisas do gênero. Adoro o fato de que, quando você está lutando com o Feiticeiro, é difícil diferenciar o que é real ou não. As criaturas, na verdade, são uma distração para causar danos e permitir que ele recupere o nível de Mana. É uma classe frágil, mas que não tem muitas habilidades de longa distância. Por isso precisa tanto dos “pets”.

– Arcanista:

É o típico arquétipo do mago: poderoso e capaz de lidar com coisas que as outras classes não conseguem, como controlar o tempo e o espaço. Entretanto, o Arcanista é fraco e deve ficar bem longe dos inimigos – por isso mesmo é uma classe de Skills de longa distância.

– Monge:

Focada em agilidade e velocidade, trata-se de uma classe de combates corpo-a-corpo. Como o Monge é um guerreiro santo, possui várias habilidades de recuperação, além de controle de elementos como fogo, vento e água. É uma das classes preferidas por quem tem proficiência em “Diablo III”.

– Caçador de Demônios:

Tudo o que o Caçador de Demônios quer, como o próprio nome sugere, é eliminar os demônios que escaparam do inferno. Para tal, utiliza muito o arco e flecha, além de projéteis, de forma em geral. É uma classe cheia de truques, como armadilhas e “gadgets” para tirar os inimigos de ação.

Confira um vídeo com 12 minutos de gameplay:

Fonte: Uol Jogos

Tudo o que você precisa saber sobre a OS do PS Vita

 HOME

Esta é a tela Home do Vita. Apesar da imagem acima ser da época da E3, é basicamente o mesmo da versão atual, com exceção, de alguns ícones atualizados.
São as bubbles com uma bela animação de ondas 3D no fundo, semelhante ao ps3.
Na lado esquerdo, você pode perceber 3 pontos, indicando que são 3 páginas de ícones.
Subindo, vocês vêem a barra de sinal 3G, o relógio e a barra da bateria.

O ícone do meio te lembra que esta é tela Home – quando você abre mais aplicativos, os ícones vão ficando ao lado deste ícone da Home e é aí que você com um toque movendo para a esquerda e/ou direita que você navega rapidamente entre os vários aplicativos abertos.

No canto superior direito, é onde também aparecerá as notificações: como mensagens recebidas, convites para o party e friends request.

 LIVE AREA 

Clicando em qualquer ícone na tela Home, te levará para a Live Area do jogo ou aplicativo.

Na imagem acima, vemos a de Wipeout 2048. Como podem ver, é algo muito mais do que simplesmente “Quer mesmo iniciar o jogo?”. Há atalhos para o leaderboard, user profile, AG Museum (quem viu o vídeo sabe sobre o AR aplicado em Wipeout) e Store (deixaram como exemplo, uma ilustração de um DLC do Wipeout do PS3, o Fury).

Na imagem abaixo, vemos a de Golden Abyss. Nela você pode conferir vários status, como seu progresso no jogo e da comunidade. Também pode acessar o Black Market do jogo para efetivar as trocas.

 Claro que você pode simplesmente pular isso e só apertar start para começar o jogo, mas este é um lugar muito útil em que você pode conferir novidades (informações, dlcs, etc) que são atualizadas automaticamente, sem precisar iniciar o jogo para isso.
Imagine, por exemplo, na Live Area de LBP, você ter como conferir quantas pessoas jogaram os levels que você criou, sem precisar entrar no jogo.

 Por último, há 3 rápidos links na Live Area.

O primeiro é o manual digital do game. Lembre-se que todos os jogos do Vita estarão disponíveis na PSN. O segundo é um internet search para o jogo. O terceiro ainda não está claro. Pode ser um refresh na página ou se te permite atualizar jogos e/ou aplicativos sem precisar iniciar o jogo (convenhamos que isso seria fantástico).

 PLAYSTATION STORE

Ainda não está na forma final. Você pode perceber a aba tendo a seção de games, vídeos e search. Há também 3 formas de divulgar/organizar os títulos: Últimos lançamentos, Best Sellers e All Games.

 As páginas do produto também são semelhantes, com artwork e detalhes do produto. Também está presente o sistema de avaliação. Por outro lado, ainda não consta nenhuma forma de preview: imagens ou trailer do jogo em questão. Felizmente, ainda não é a versão final. Você pode reparar no canto inferior direito um botão com 3 pontos, que são as Opções e aparecem por toda a UI do Vita.
 Naturalmente, sua conta na psn será carregada para o Vita.

Direto da página de profile, você pode ver o que seus amigos estão jogando e juntar-se a eles, ou você pode conferir suas atividades recentes, desde os últimos troféus adquiridos ou seu progresso ingame. Você pode também partir imediatamente para um chat.

 Group chats tanto por texto quanto por voz. Mensagens podem conter anexos.

Na imagem acima, na primeira mensagem há um convite para um level do LBP, enquanto o segundo reply, contém uma imagem.

 A lista de troféus você pode ver na lista acima. No canto superior esquerdo, você vê uma aba em que dá para listar os troféus apenas do Vita ou todos os troféus. Percebam que em todos os troféus, dá para verificar se são de jogos do Vita ou do PS3!

Ainda não se sabe como vai funcionar no caso de jogos que podem ser transferidos para o PS3 do Vita e vice-versa como Ruin.

Fonte: Fórum Uol Jogos

Primeiras impressões de Silent Hill: Downpour

Silent Hill é uma daquelas franquias da Konami que faz muito sucesso devido ao seu histórico. Começou com o pé direito, com excelentes títulos e foi decaindo exatamente por ter saído das mãos da equipe responsável original, o Team Silent. A equipe foi responsável pelos quatro primeiros títulos, e dessa leva, os melhores são os três primeiros, com destaque a Silent Hill 2.

Depois disso a Konami decidiu desenvolver outros jogos da franquia fora do território japonês, em jogos que não tinham apelo tão forte com o terror e somados ainda com enredos fracos. A partir daí a Konami começou a se preparar para um título mais forte, deixando de lado os últimos fracassos. Com dois anos de desenvolvimento e um time experiente na novata Vatra, da República Tcheca a empresa se diz confiante e pretender resgatar o terror perdido com o passar dos anos.

Visualmente o jogo impressiona, mesmo não sendo a versão final do título. Ele apresenta excelentes modelos em 3D, belas texturas bem aplicadas, excelente sistema de iluminação com efeitos da lanterna, raios e outros elementos. De diversas formas o jogo lembra Resident Evil 4 e 5 pelo estilo de visualização do personagem, sendo em terceira pessoa mas não mostrando o personagem por completo, porém o jogo é um pouco mais rápido, lembrando especificamente o último título do Survival Horror da Capcom.

Há cenas onde a câmera fica fixa em algum lugar do cenário e o personagem se movem livremente lembrando os antigos títulos da série Resident Evil. A interação com os objetos é grande, e diversas coisas largadas pelo cenário podem se tornar armas, como garrafas e cadeiras.

A jogabilidade é boa e os controles respondem muito bem. Golpear os inimigos é bem semelhante aos jogos anteriores da série, porém de forma mais ágil e funcional. O personagem reage bem com fugas e esquivas, porém não parece que você está jogando um Silent Hill. Aqui é a chuva faz o personagem entrar na realidade paralela da cidade de Silent Hill, tendo acesso a situações macabras em um universo paralelo escuro e sombrio.

O demo não é muito longo e não traz ainda elementos necessários para saber se realmente Silent Hill: Downpour vai trazer muito medo como os perturbadores primeiros títulos da série, ou se será semelhante aos jogos anteriores, onde o terror ficava apenas preso a cenários escuros e inimigos estranhos.

 

Fonte: http://www.techtudo.com.br/jogos/noticia/2011/09/primeiras-impressoes-de-silent-hill-downpour.html