Eminem pode ser protagonista do filme do GTA

Eminem está prestes a viver protagonista do filme baseado na franquia GTA, estranho né pois nenhum filme do GTA foi anunciando mas é o que garante a revista Playstation France.

Um verdadeiro negócio está rolando a solta, Rockstar está tentando uma suposta parceria com a empresa americana de filmes 20th Century Fox, que havia aceitado.
Mas Rockstar pensa seriamente no caso para não estragar a fama da série Grand Theft Auto, diversos diretores foram especulados tais nomes pesados como Paul Rosenberg e Stuart Parr que também produziu o filme baseado na história de 50 cent e Carga Explosiva 1 e 2.

Neste momento sabemos que o estúdio 20th Century Fox, trouxe roteirista e diretor David Von Ancken, está terminando a trama do filme , se a Rockstar gostar porque não?
Afinal Eminem combina muito com isso pois quem é fã sabe da história do rapper que tem uma mera semelhança com GTA.

O filme é por enquanto é chamado “Random Acts of Violence” e é esperado para começar a filmar este ano se a Rockstar gostar e aprovar a trama de David Von.

Fonte: Tqcast
Anúncios

Polêmica: Produtor De Games É Condenado À Morte No Irã

2012 começou tenso no mundo dos games. Primeiro tivemos um soldado criticando o marketing de Call of Duty. Depois, ex-montadores de Xbox 360 ameaçaram um suicídio coletivo. E agora, um produtor de games estadunidense (de família iraniana) que estava preso no Irã desde o ano passado foi sentenciado à morte, acusado de ser um espião da CIA e de manipular a opinião pública utilizando seus jogos.

O caso de Amir Mirzaei Hekmati está repercutindo em todo o mundo. Ex-fuzileiro dos Estados Unidos, Amir, que trabalhou como designer de games para a empresa Kuma Reality Games, estaria em visita ao Irã para visitar sua avó.

Kuma é uma empresa que ficou famosa por criar jogos polêmicos inspirados em histórias reais. Seu Kuma\War ganhou notoriedade por trazer atualizações que recriam casos reais, como o assassinato dos filhos de Saddam Hussein e a captura do terrorista Osama Bin Laden.

Um dos capítulos deste game, “Assault on Iran”, seria o estopim desta treta toda. Nesta missão, o objetivo do jogador é se infiltrar em uma instalação nuclear iraniana para obter evidências do enriquecimento ilegal de urânio no país. Confira abaixo um trailer do game:

O mais bizarro, porém, é que, segundo a imprensa iraniana, Amir alegou que realmente é um espião da CIA e que os games da Kuma foram realmente feitos para manipular as massas.

Sabe-se lá sob quais condições, Amir confessou tudo e afirmou que “recebemos dinheiro da CIA para produzir, desenvolver e distribuir gratuitamente filmes e jogos com o objetivo de manipular a opinião pública. O objetivo da Kuma era convencer o povo do Irã e do mundo inteiro que qualquer coisa que os EUA venha a fazer em outro país é algo bom e aceitável”.

Tudo isso e muito mais teria sido dito no vídeo abaixo, que você provavelmente não vai entender, pois tudo é dito em árabe:

Felizmente, o site Tehran Times traduziu e transcreveu toda a confissão de Amir para o inglês. Se quiser conferir o material na íntegra, clique aqui.

Anos atrás, o CEO da Kuma, Keith Halper, admitiu que, em 2006, a empresa trabalhou em um software de treinamento linguístico encomendado e financiado pelo Departamento de Defesa dos Estados Unidos. A declaração respalda o interesse norte-americano na produção de games úteis à sua causa, mas não faz nenhuma ligação com a CIA.

CIA, por sua vez, negou qualquer envolvimento com tudo isso e com Amir“as alegações de que o Sr. Hekmati trabalha para a CIA ou foi mandado ao Irã pela CIA, são falsas. O regime iraniano tem um histórico de acusar falsamente pessoas de serem espiões, de extrair confissões forçadas e de manter inocentes americanos presos por motivos políticos”.

A família de Amir também nega a acusação. Seus parentes dizem que ele já trabalhou para as Forças Armadas dos EUA como tradutor (segundo a confissão de Amir, o exército o teria mandado pra uma universidade especial para aprimorar seus conhecimentos nos idiomas do Oriente Médio), mas que quando foi capturado, ele estaria no Irã apenas para visitar sua avó.

Considerando que a confissão e a sentença de morte só foram oficialmente veiculadas por veículos iranianos, o governo dos EUA está investigando a veracidade das informações.

E aí, o que você acha disso tudo? Será que os EUA e a CIA realmente fazem “lavagem cerebral” nas pessoas utilizando games, filmes e propagandas? Será que Amir é mesmo um espião enviado pela CIA? Tudo isso não seria uma retaliação do Irã à empresa que abordou o delicado tema do programa nuclear iraniano em seus games?

Fonte: Arkade

Uncharted 3 é indicado a 12 prêmios pela Academia de Artes Interativas e Ciências

A Academia de Artes Interativas e Ciências anunciou hoje a sua lista de nomeações para os prêmios anuais da Interactive Achievement, e Uncharted 3: Drake Deception é o grande candidato com 12 indicações. O jogo desenvolvido pela Naughty Dog é indicado para vários prêmios grandes, incluindo o grande jogo do ano.

Mas Uncharted não é o único, Portal 2 da Valve conseguiu acumular impressionantes 10 indicações, LA Noire levou nove indicações, Batman: Arkham City atingiu um total de sete, enquanto Skyrim levou em seis.

O Interactive Achievement Awards será realizado no dia 9 de fevevereiro com uma multidão ao vivo e transmitido on-line,e será apresentado pelo comediante Jay Mohr,que mais uma vez presidir as cerimônias.

Todas as indicações:

Game of the Year
Batman: Arkham City–Rocksteady Studios
Portal 2–Valve
The Elder Scrolls V: Skyrim–Bethesda Game Studios
The Legend of Zelda: Skyward Sword–Nintendo
Uncharted 3: Drake’s Deception–Naughty Dog

Outstanding Achievement in Original Music Composition
L.A. Noire–Team Bondi
Little Big Planet 2–Media Molecule
Uncharted 3: Drake’s Deception–Naughty Dog
InFamous 2–Sucker Punch
Portal 2–Valve

Outstanding Achievement in Sound Design
Battlefield 3–DICE
Call of Duty: Modern Warfare 3–Infinity Ward/Sledgehammer Games
L.A. Noire–Team Bondi
Need for Speed: The Run–EA Black Box
Uncharted 3: Drake’s Deception–Naughty Dog

Outstanding Achievement in Story
Bastion–Supergiant Games
L.A. Noire–Team Bondi
Portal 2–Valve
The Elder Scrolls V: Skyrim–Bethesda Game Studios
Uncharted 3: Drake’s Deception–Naughty Dog

Outstanding Character Performance
Deus Ex: Human Revolution (Adam Jensen)–Eidos Montreal
L.A. Noire (Cole Phelps)–Team Bondi
Portal 2 (Wheatley)–Valve
Uncharted 3: Drake’s Deception (Nathan Drake)–Naughty Dog
Uncharted 3: Drake’s Deception (Victor Sullivan)–Naughty Dog

Downloadable Game of the Year
Bastion–Supergiant Games
Drawn: Trail of Shadows–Big Fish Games
Insanely Twisted Shadow Planet–Fuel Cell
Ms. Splosion Man–Twisted Pixel Games

Casual Game of the Year
Fruit Ninja Kinect–Halfbrick Studios
Tiny Wings–Andreas Illiger
Jetpack Joyride–Halfbrick Studios
Monsters Ate My Condo–Adult Swim/PikPok
Where’s My Water?–Creature Feep

Social Networking Game of the Year
Army Attack–Digital Chocolate
CastleVille–Zynga
Gardens of Time–Playdom
The Sims Social–Playfish
Triple Town–Spry Fox

Role-Playing/Massively Multiplayer Game of the Year
Dark Souls–From Software
Deus Ex: Human Revolution–Eidos Montreal
Star Wars: The Old Republic–BioWare Austin
The Elder Scrolls V: Skyrim–Bethesda Game Studios
The Witcher 2: Assassins of Kings–CD Projekt

Outstanding Innovation in Gaming
Bastion–Supergiant Games
L.A. Noire–Team Bondi
Portal 2–Valve
Skylanders Spyro’s Adventure–Toys for Bob
The Elder Scrolls V: Skyrim–Bethesda Game Studios

Sports Game of the Year
FIFA 12–EA Canada
Madden NFL 12–Tiburon
MLB 11: The Show–SCE San Diego
NBA 2K12–Visual Concepts
NBA Jam: On Fire Edition–Firemint

Racing Game of the Year
Forza Motorsport 4–Turn 10 Studios
Mario Kart 7–Nintendo
Real Racing 2 HD—Firemint

Fighting Game of the Year
Fight Night Champion–EA Canada
King of Fighters XIII–SNK Playmore
Mortal Kombat–NetherRealm Studios
Super Street Fighter IV: 3D Edition–Capcom
Ultimate Marvel vs. Capcom 3–Capcom

Strategy/Simulation Game of the Year
Iron Brigade–Double Fine
Orcs Must Die!–Robot Entertainment
Total War: Shogun 2–The Creative Assembly
Toy Soldiers: Cold War–Signal Studios
Warhammer 40,000: Dawn of War II – Retribution–Relic Entertainment

Family Game of the Year
Dance Central 2–Harmonix
Just Dance 3–Ubisoft Paris
Kinect Disneyland Adventure–Frontier Developments
Little Big Planet 2–Media Molecule
Skylanders Spyro’s Adventure–Toys for Bob

Mobile Game of the Year
Contre Jour–Chillingo
Dead Space–EA Mobile
Infinity Blade II–Chair Entertainment
Tentacles–Press Play
The Dark Meadow–Phosphor Games Studio

Handheld Game of the Year
Ghost Trick: Phantom Detective–Capcom
Kirby Mass Attack–Hal Laboratory
Mario Kart 7–Nintendo
Professor Layton and the Last Specter–Level 5
Super Mario 3D Land–Nintendo

Adventure Game of the Year
Batman: Arkham City–Rocksteady Studios
L.A. Noire–Team Bondi
Portal 2–Valve
The Legend of Zelda: Skyward Sword–Nintendo
Uncharted 3: Drake’s Deception–Naughty Dog

Outstanding Achievement in Online Game Play
Battlefield 3–DICE
Call of Duty: Modern Warfare 3–Infinity Ward/Sledgehammer Games
Gears of War 3–Epic Games
Little Big Planet 2–Media Molecule
Star Wars: The Old Republic–BioWare Austin

Outstanding Achievement in Online Game Play
Battlefield 3–DICE
Call of Duty: Modern Warfare 3–Infinity Ward/Sledgehammer Games
Dragon Age II–BioWare Edmonton
Portal 2–Valve
Uncharted 3: Drake’s Deception–Naughty Dog

Action Game of the Year
Battlefield 3–DICE
Call of Duty: Modern Warfare 3–Infinity Ward/Sledgehammer Games
Dead Space 2–Visceral Games
Gears of War 3–Epic Games
Saints Row: The Third–Volition

Outstanding Achievement in Animation
Assassin’s Creed: Revelations–Ubisoft Montreal
Batman: Arkham City–Rocksteady Studios
L.A. Noire–Team Bondi
Rayman Origins–UbiArt Montpellier
Uncharted 3: Drake’s Deception–Naughty Dog

Outstanding Achievement in Art Direction
Batman: Arkham City–Rocksteady Studios
Battlefield 3–DICE
Portal 2–Valve
Rayman Origins–UbiArt Montpellier
Uncharted 3: Drake’s Deception–Naughty Dog

Outstanding Achievement in Visual Engineering
Batman: Arkham City–Rocksteady Studios
Crysis 2–Crytek GmbH
L.A. Noire–Team Bondi
Rage–id Software
Uncharted 3: Drake’s Deception–Naughty Dog

Outstanding Achievement in Game Play Engineering
Batman: Arkham City–Rocksteady Studios
Portal 2–Valve
Skylanders Spyro’s Adventure–Toys for Bob
The Elder Scrolls V: Skyrim–Bethesda Game Studios
The Legend of Zelda: Skyward Sword–Nintendo

Outstanding Achievement in Game Direction
Batman: Arkham City–Rocksteady Studios
L.A. Noire–Team Bondi
Portal 2–Valve
The Elder Scrolls V: Skyrim–Bethesda Game Studios
Uncharted 3: Drake’s Deception–Naughty Dog

Fonte: Industrygamers

Testamos o videogame Wii U, com controle que imita tablet

Wii U - Controle

Quer deixar um funcionário da Nintendo sem jeito? Pergunte por que o Wii U, sucessor do videogame Wii, ainda não tem nenhum game anunciado, sendo que o console chega às lojas na segunda metade deste ano, segundo a empresa. Na Consumer Electronic Show (CES), em Las Vegas, a a fabricante e desenvolvedora de games poderia estar mostrando os novos “Super Mario”, “Metroid” ou “Zelda”. No entanto, preferiu não ter um estande no evento e, sim, um pequeno quarto em um hotel próximo. Ali, em vez dos jogos, demonstrou “experiências”.
A intenção da Nintendo é mostrar como é jogar em duas telas em um console doméstico, algo que deu muito certo com os jogos nas duas telas do Nintendo DS e, agora, no 3DS. O primeiro é o videogame portátil mais vendido de todos os tempos, com mais de 151 milhões de unidades vendidas.

Nintendo Wii U proporciona experiência como a do DS, de jogar com duas telas .

Controle Tablet do Wii U

O Wii U tem um design muito similar ao Wii. Ele só é um pouco mais comprido e com bordas arredondadas. E conta com um controle no formato de tablet. Ele apresenta duas alavancas analógicas, essenciais para jogos de tiro em primeira pessoa (quando você não vê o personagem, apenas a arma, como se a estivesse segurando). Além disso, há dois botões de ombro, dois gatilhos, os tradicionais botões de ação, 4 deles, e um direcional digital.

A tela sensível ao toque é o diferencial. Com ela, o jogador pode interagir diretamente com o jogo, realizando alguma ação nela, até acessar diferentes informações.

De olho na telinha 

Este foi o foco da primeira “experiência” do G1 com o Wii U. O jogo consistia em 3 amigos em um labirinto e um quarto, munido do controle-tablet, que tinha que fugir deles. O jogador em fuga não olha para a televisão e, sim, para a tela do joystick, que mostra o mapa do labirinto e onde estão os adversários, além de apresentar uma pequena tela de jogo. Os outros gamers usam Wii Remotes, controles do Wii original que são compatíveis com o Wii U, para caçá-lo. Embora seja um game muito curto, é bastante divertido jogar em equipe para caçar o fugitivo, uma vez que os jogadores são obrigados a conversar e se ajudar para vencer a partida.

Console Nintendo Wii U

Ao jogar como quem foge, a experiência muda bastante. Ver a posição dos adversários ajuda -e dá uma agonia grande vê-los se aproximando. Vence quem pegar o fugitivo dentro do tempo determinado.
Num segundo teste foi apresentado um game de tiro em terceira pessoa, com a câmera mostrando o personagem pelas costas. Quem jogava com o Wii Remote e a extensão Nunchuck tinha que caçar uma nave espacial que voava pelo cenário repleto de obstáculos do usuário que tinha o controle-tablet. Nada muito diferente do que já foi visto em games do Wii. Entretanto, ao jogar como a nave usando o novo joystick, o resultado é muito mais interessante. Somado ao fato de ter que usar as duas alavancas analógicas para fazer a nave andar para frente e para trás, para a direita e para a esquerda e para cima e para baixo, era necessário girar o controle para os lados para movimentar a câmera e a mira para atacar os outros jogadores — tudo isso visualizando a imagem do jogo na tela sensível ao toque do controle.
É muito mais difícil controlar um game desta maneira mas, ainda assim, é uma tarefa que permite uma interação maior com o jogo.

360 graus 

A terceira experiência foi a mais interessante em termos de tecnologia, já que não se tratava de um jogo. Foi colocado um vídeo na tela em que parecia que se estava andando em cima de um carro do serviço Street View, dos mapas do Google. Enquanto o vídeo era reproduzido, no controle aparecia a mesma imagem, com a diferença de que, ao girar o periférico para os lados, a câmera se movia 360 graus. Era possível, ainda, ampliar a imagem para ver detalhes como nomes de ruas ou pressionar um botão para ver o que acontecia nas “costas” do usuário.

A aplicação é bastante interessante e pode ser usada tanto para o uso no Street View, por exemplo, ou para algo ainda mais grandioso. Pense em assistir a um filme que teve cenas gravadas com a câmera de 360 graus. Em uma batalha, por exemplo, o espectador teria a opção de ver a cena por outros ângulos diretamente na tela do tablet, apenas movimentando-o para os lados, para cima e para baixo.
Ainda é incerto se Nintendo vai mesmo lançar o Wii U em 2012. Mas ela está tomando todo o cuidado para tornar inéditas as “experiências” de seu novo console. Se continuar neste caminho e continuar usando a mesma criatividade vista em alguns jogos do Wii, o novo aparelho já tem meio caminho andado para ser bem recebido.

Fonte: G1/Globo

Cinco apostas, pouco conhecidas, para sua lista de jogos em 2012

Ano novo, novos jogos: 2012 traz sua lista de lançamentos aguardados. Bioshock Infinite, Halo 4, GTA V, Diablo III, Max Payne 3, o próximo Tomb Raider, o próximo Assassin’s Creed. Enquanto todos salivam em cima das promissoras continuações de franquias consolidadas, eu me proponho a criar uma lista de cinco apostas. Ano novo, jogos novos.

AMY

Talvez o nome do programador francês Paul Cuisset não acenda nenhum alarme em seu radar, mas ele é o criador de clássicos como Flashback, Fade to Black e da série Moto Racer. Após um longo hiato, ele está de volta às grandes produções com AMY, um título de survival horror, sem armas, protagonizado por uma mulher contaminada com um vírus mortal e uma menina autista.

Segundo Cuisset, o elemento mais importante do jogo é a interação emocional entre as duas personagens. Deste ponto principal deriva a jogabilidade, onde Lana, a protagonista infectada, consegue manter o avanço do vírus sob controle quando está perto de Amy, a menina autista que parece ser imune e ter poderes sobre a misteriosa doença. Da dinâmica cooperativa entre as duas nasce o desafio, na medida em que o jogador precisa guiá-las através de uma cidade repleta de infectados monstruosos e militares com dedo leve no gatilho.

AMY está previsto para ser lançado no primeiro trimestre do ano, disponível via download para PC, PS3 e Xbox 360.

Ride to Hell

A grande aposta de Ride to Hell é se ele sai ou não em 2012. Anunciado pela primeira vez em 2008, com direito a trailer, este inusitado seguidor de GTA amargou um significativo período na geladeira. Não há mais informações no site da desenvolvedora Eutechnyx ou na produtora Deep Silver. Mas fontes garantem que o título ainda está em produção e que sofreu o mesmo destino de Dead Island, outro título distribuído pela Deep Silver: um longo desenvolvimento, incluindo um retorno para a prancheta de desenho. Segundo a produtora, novidades aparecerão em 2012.

A Eutechnyx tem um histórico com as estradas, seja em jogos memoráveis como Test Drive Les Mans ou sátiras como Big Mutha Truckers, passando pelo jogo oficial do filme Velozes e Furiosos. Ride to Hell mistura a liberdade do sandbox e a marginalidade de GTA com o clássico cinematográfico Easy Rider. Ambientado em 1969, o jogo acompanha um veterano da Guerra do Vietnã retornando para uma América que ele não reconhece mais: movimento hippie, sexo, drogas, contracultura, motos envenenadas. Não é o tipo de cenário que aparece com frequência no universo dos jogos eletrônicos.

Se for mesmo lançado em 2012, deverá estar disponível para PC, PS3 e Xbox 360.

Quantum Conundrum

Quando a designer que liderou a equipe por trás do primeiro Portal e participou da produção do segundo lança seu primeiro título fora da Valve, é melhor prestar atenção. Kim Swift faz seu retorno com Quantum Conundrum, novamente mexendo com a cabeça dos jogadores usando desafios lógicos e bom humor.

No jogo, o protagonista é um garoto de 12 anos cujo tio, o típico cientista maluco, fica aprisionado em outra dimensão dentro de sua própria mansão. Com a ajuda de uma Luva de Mudança Interdimensional, cabe ao desafortunado menino explorar o bizarro interior da residência e resolver os intricados puzzles que envolvem manipulação da velocidade dos objetos, inversão total de gravidade, mudanças de peso e outras possibilidades existentes em cada uma das diferentes dimensões visitadas.

Quantum Conundrum foi anunciado para o primeiro trimestre de 2012 e será lançado via download pelo Steam (obviamente), pela PSN e pelo Xbox Live Arcade.

Botanicula

Diretamente da República Checa, os alucinados criadores de Machinarium e Samorost preparam mais uma experiência multimídia disfarçada de adventure. Desafiando classificações, Botanicula é um point and click que mistura estética de desenho animado alternativo, exploração, estranhas criaturas e um nome exótico.

No jogo, um grupo de cinco minúsculas criaturas que vivem em uma árvore precisam empreender uma jornada repleta de perigos em busca da última semente de sua planta natal, atacada por sombrios parasitas aracnóides. A jogabilidade vem sendo descrita como uma delirante missão de exploração, onde cada clique pode revelar uma surpresa maravilhosa ou fornecer pistas e itens para avançar em seu objetivo. Algumas tarefas só podem realizadas por uma determinada criatura e o jogador é incentivado a experimentar e descobrir através da tentativa e erro.

Botanicum deve ser lançado em fevereiro, para Windows, Mac OS X, Linux, iOS e Android.

Dishonored

A equipe de desenvolvimento deste titulo parece a escalação do Barcelona: repleta de estrelas. Juntando o talento do designer de jogos Harvey Smith (responsável pelo primeiro Deus Ex e pela franquia Thief), os visuais do diretor de arte Viktor Antonov (criador de boa parte dos elementos estéticos de Half-Life 2), mais a paixão por mundos imersivos da Arkane Studios (de Arx Fatalis e Dark Messiah of Might and Magic) e produzido pela Bethesda (da série Elder Scrolls), Dishonored tem todos os elementos para ser um FPS único.

Em uma realidade alternativa que mistura elementos vitorianos e máquinas de guerra, o jogador entra na pele de Corvo, guarda-costas de elite da Imperatriz, envolvido em uma conspiração que o acusa de seu assassinato. Movido pela vingança, ele se esconde nas sombras e se torna um obstáculo para os golpistas. Dishonored irá seguir os passos de Deus Ex e privilegiar a ação furtiva e os múltiplos caminhos para resolver seus desafios. A forma como o jogador atravessa o jogo terá grande impacto no resultado final da narrativa, que irá se adaptar de acordo com suas escolhas.

Dishonored está previsto para chegar às lojas no segundo trimestre de 2012, para PC, PS3 e Xbox 360.

Fonte: Gemind

Jogo brasileiro Legendary Heroes já está disponível na App Store para iPhone, iPad e iPod touch

Vocês lembram do jogo brasileiro que apresentamos aqui em primeira mão no mês passado, o Legendary Heroes? Pois ele já está disponível na App Store (inclusive a brasileira) e o que é melhor: de graça!

Ele pode ser considerado como o primeiro jogo Action Real-Time Strategy (estratégia em tempo real) na App Store mundial, sendo um importante passo para a comunidade de desenvolvedores brasileiros.

Ele pode ser considerado como o primeiro jogo Action Real-Time Strategy (estratégia em tempo real) na App Store mundial, sendo um importante passo para a comunidade de desenvolvedores brasileiros.

O Legendary Heroes pode ser baixado diretamente na App Store (link) e é compatível com iPad, iPhone e iPod touch.

Fonte: Blogdoiphone

 

God of War IV: Jogo é confirmado no currículo e site oficial do compositor Timothy Williams

Kratos pode ter ido para o submundo de Hades, mas isso não vai impedir a Sony Computer Entertainment de fazer mais jogos sobre a serie God of War. Afinal de contas, é uma de suas maiores franquias.

A confirmação disso vem direto do compositor Timothy Williams, que trabalhou na trilha sonora de Conan, o Bárbaro (o filme de 2011), Rise of the Argonauts, e DOTA2.

Williams esta listando jogo God of War IV como próximo projeto em seu currículo.

O compositor Timothy Williams acaba de atualizar sua pagina oficial colocando como novo projeto GOD OF WAR IV

E também a revista PSM3 (Revista oficial do PlayStation 3) afirma que God of War IV será lançado em meados de 2012 e terá multiplayer online. Kratos vai se juntar ao seu irmão Deimos para escapar da vida após a morte.

*Deimos fez sua primeira aparição no jogo God of War: Ghost of Sparta (PSP/PS3).

God of War IV é um jogo exclusivo para PlayStation 3 e está previsto para ser lançado no meio do ano de 2012

Fonte: Timothywilliams

Top 10: Aliados Mais Chatos E Irritantes Do Mundo Dos Games

Mas sabe o que é pior do que um inimigo chato? Um parceiro chato!

Afinal, o inimigo você pode ir lá e matar, mas o companheiro não! Dependendo do jogo, ele vai passar o tempo todo te atrapalhando e você não poderá fazer nada contra ele!

Para piorar, muitas vezes deixar o sidekick para trás nos brinda com uma desagradável tela de game over/mission failed. Simplesmente frustrante!

Bom, apesar de tudo isso, o site Arkade resolveu homenagear estes “adoravéis”parceiros, e criou um top 10 especialmente para eles!

10. Morrigan (Dragon Age) 

Esta exuberante bruxa certamente deixou muitos marmanjos babando, mas não se pode negar que como sidekick ela deixa muito a desejar. Indecisa que ela só, quer ter um filho mas não sabe exatamente com quem, e em alguns momentos deixa o jogador sozinho bem na hora em que o circo pega fogo.

9. Baby Mario (Yoshi’s Island)

 

O que um pobre bebezinho inocente pode fazer para te atrapalhar? Chorar, meu caro! E nisso o Baby Mario de Yoshi’s Island é bom: ele chora muito e sempre que ele está chorando, é sinal de que você o perdeu e deve resgatá-lo. Se não botar o moleque nas costas novamente em alguns segundos, já era. Nos momentos mais críticos dá até vontade de deixá-lo ser levado apenas para acabar com a maldita choradeira!

8. The Watcher (Darksiders) 

Em um game onde você é um onipotente Cavaleiro do Apocalipse que perdeu seus poderes e está em busca de vingança, a última coisa de que se precisa é umsidekick pentelho, certo? Errado! O pessoal da Vigil Games decidiu colocar The Watcher no game, um demoniozinho que se acha o tal, não ajuda em praticamente nada no decorrer do game, mas está sempre pronto para ofender e humilhar o pobreWar. Totalmente dispensável!

7. Elika (Prince of Persia) 

 

Esta é uma sidekick poderosa e bastante útil no decorrer do game, mas que consegue ser bem chata em alguns momentos. Para cruzar algum abismo, você tem que colocá-la nas costas e carregá-la para lá e para cá. Elika também é perita em ficar bloqueando seu caminho em corredores e passagens estreitas, o que atrapalha bastante. Se não fossem seus poderes e o clima que rola com ela, certeza que o Prince a tacaria no primeiro abismo!

6. Princesa Yorda (Ico) 

Ico é um daqueles games artísticos e filosóficos que conseguem chegar ao status de “cult”. Mas isso não impede que ele tenha uma personagem chata te acompanhando. Quer dizer, a Princesa Yorda não é necessariamente chata, mas é inútil. Nas batalhas você deve protegê-la de todos os inimigos, e a resolução da maioria dos puzzles consiste em bolar um caminho para ela passar sem se machucar. Pô, podia ser um pouquinho mais pró-ativa, né, Princesa?

5. NPCs da série GTA 

A série GTA é famosa por ter uma história single player envolvente e muito bem escrita. Porém, em quase todo jogo da série, a Rockstar deve achar que o jogador se sente muito sozinho, e resolve meter alguma missão para ser realizada em parceria com um NPC. O cérebro destes aliados deve ser algo semelhante a uma uva passa, pois eles mais atrapalham do que ajudam, atiram para todo lado sem matar ninguém e, dependendo do caso, ainda conseguem te fazer perder a missão!

4. Peppy & Slippy (Star Fox) 

 

Esta é uma dupla que deu muita dor de cabeça aos jogadores de Star Fox. O coelho Peppy virou praticamente um ícone da chatice com sua célebre frase que virou até meme, “do a barrel roll”, em Star Fox 64. Já o simpático mecânico Slippytenta ser útil, mas tem o péssimo hábito de se meter em encrencas e sempre acaba pedindo socorro nos piores momentos!

3. Ashley e Sheva (Resident Evil 4 e 5) 

Como é que duas moças tão simpáticas podem ser tão chatas? Ashley, a filha do presidente raptada em Resident Evil 4 não consegue fazer nada sozinha, e precisa de ajuda até para se esconder. Deixá-la sozinha por 5 segundos é game over na certa. Já Sheva fala sempre a mesma coisa (“roger!”) gosta de esbanjar itens e munição (“I need ammo!”) e é um pouquinho inconsequente: ela adora ficar na frente da sua mira bem quando um daqueles caras com motosserra está chegando! Tenso!

2. Gretchen (Knights Contract) 

Esta é o cúmulo da inutilidade! Ok, Gretchen é uma bruxa cheia de poderes, e tudo mais, mas ela não é capaz de usar nenhum destes poderes sozinha, você precisa ordenar todos os seus ataques. Acompanhante de Heinrich, um guerreiro imortal, ela não só pode morrer, como o faz com bastante frequência. Para piorar, restaurar a energia da moça exige que você a carregue no colo, o que te deixa praticamente indefeso por um tempo.

1. Fada Navi (Zelda) 

 

Esta foi praticamente uma unanimidade na votação que rolou entre a equipe e os leitores. A pequena fada conselheira da série The Legend of Zelda leva com louvor a medalha de ouro deste top 10, por seus irritantes e muito constantes conselhos. Certeza que muita gente deve ter batido com a cabeça na parede enquanto jogava o Ocarina of Time, após ouvir pela centésima vez os “hey” e “listen” desta fadinha pentelha!

E é com esta fada pra lá de xarope que encerramos este top 10, que certamente causou um misto de saudade e raiva em todo gamer que já conheceu essas figuras.

Sentiu falta de algum sidekick mala nesta lista? Utilize o espaço de comentários e preste sua “homenagem” ao sujeito.

Fonte: Arkade