Prince of Persia: vaza suposta imagem do reboot da série

Não é de hoje que rolam boatos de que a Ubisoft estaria planejando um reboot para a franquia Prince of Persia. Vazou na internet este final de semana uma imagem do que poderia ser o primeiro vislumbre deste reboot.

A imagem é esta que você confere acima, e foi divulgada no fórum oficial da Ubisoft. Uma versão maior pode ser vista abaixo:

 

Repare como temos NPCs utilizando trajes semelhantes aos egípcios: isto pode dar uma dica de onde se passará o game.

O mais curioso, porém, é o fato de que, o sujeito grandalhão de costas pode ser o novo protagonista. Um personagem negro, fortão e careca é completamente o oposto do Prince que vimos nos últimos games da série, o que é uma mudança bem radical.

Por se tratar de um protótipo em desenvolvimento, podemos ver detalhes como a contagem de frames (que está bem baixa) e o codinome POP_Zero_2 na parte inferior da imagem.

Considerando que nada oficial foi dito, acredita-se que este reboot só deve sair na próxima geração de consoles. Aliás, resta saber se este rumor vai se confirmar ou não.

E aí, você acha que já está na hora da Ubisoft lançar um reboot de Prince of Persia?

FONTE: ARKADE

Novas imagens de Assassin’s Creed III mostram cenas de jogabilidade e interface reformulada

Se você já estava cansado de ver imagens de animações de Assassin’s Creed III e quer saber como será a jogabilidade do novo game dos assassinos, comece a comemorar. O site All Games Beta trouxe nada menos que seis figuras que mostram o protagonista Connor em meio à ação do campo de batalha.

E quando falamos em áreas de combate, realmente nos referimos a cenas de guerra, com direito a diversos soldados espalhados pela tela — uma das novidades prometidas pela Ubisoft para seu novo motor gráfico. O campo aberto é outro destaque.

A interface também chama a atenção. Perceba como a desenvolvedora se preocupou em eliminar elementos que sobravam na tela, centralizando em apenas dói pontos os principais recursos. Exemplo disso é o medidor de energia e atenção templária, que foram incorporados ao mapa.

Ainda é um pouco cedo para comentar sobre o poderio gráfico do game, principalmente por conta de baixa qualidade das imagens liberadas pelo site. No entanto, é possível dizer que as cenas mais abertas e com centenas de soldados parecem funcionar muito bem, mesmo com algumas falhas — como a cabeça voando na imagem que abre esta notícia.

De resto, teremos de esperar até o dia 30 de outubro para conferir.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fonte: Baixakijogos

Assassin’s Creed 3 – Uma obra verdadeiramente nova que promete ser a melhor da franquia

Mais do que uma nova sequência para uma franquia, Assassin’s Creed 3 representa um salto de conceitos, ambientações e até de continentes para a série. Pela primeira vez, o personagem principal da ordem dos assassinos poderá usar árvores como pontos de apoio estratégico, caçar animais e considerar as adversidades do tempo como fator para planejar o próximo ataque.

Todas essas mudanças e adições não são apenas bem-vindas, mas também necessárias. Afinal, a opinião de que os outros jogos da série se mostram empolgantes nas primeiras horas e vão ficando mais chatos e repetitivos com o tempo é quase que unânime, mesmo entre os fãs mais fiéis.

Além das adições citadas no início, outras melhorias garantidas pela Ubisoft prometem deixar o game longe do território dos enjoativos. Continue acompanhando mais esta prévia do BJ e confira algumas delas.

Terreno muito mais relevante

Apesar de já termos comentado antes sobre o novo teor de relevância que o terreno vai ter, vale a pena sublinhar mais alguns detalhes. Diferente dos desertos vazios ou das grandes áreas inúteis presentes nos arredores das cidades dos títulos anteriores, desta vez, a geografia geral do jogo vai ser, obrigatoriamente, mais bela e relevante.

Isso porque o contexto agora é outro. As grandes cidades do Velho Mundo não vão estar presentes no novo continente que ainda está em processo de colonização. Logo, você vai ver muito mais florestas, vales, campos, planícies e montanhas do que os velhos cenários urbanos cheios de prédios altos e estruturas monumentais.

É até possível especular que o jogo terá uma atmosfera mais parecida com a de Red Dead Redemption, em que apenas andar por aí e apreciar a vista já é uma experiência digna de alguns minutos do seu tempo.

Rios de água corrente que antes deixavam uma parte do terreno praticamente inalcançável no verão poderão estar congelados no inverno, permitindo que você chegue até aquela caverna, no outro lado da margem, que você sempre quis conhecer, mas nunca pôde alcançar, por exemplo

O tempo muda, e você também

Falando em estações do ano, a Ubisoft também revelou em uma entrevista ao Eurogamer que as mudanças meteorológicas são muito mais relevantes do que pensávamos anteriormente. Além de soldados inimigos ficarem mais lentos na neve alta que cobre o chão, o cenário predominantemente branco também vai deixar mais fácil a tarefa de seguir pegadas e marcas de sangue enquanto você rastreia o caminho de um oponente escondido.

Por outro lado, as chuvas, que ficam mais frequentes na primavera e no verão, vão apagar as pegadas da terra seca rapidamente. Outro detalhe muito importante é que mosquetes e pistolas vão ficar inúteis uma vez que estiverem molhados, obrigando você a repensar sua estratégia caso estivesse confiando no longo alcance das armas de fogo para atacar.

Novo continente, nova história

O novo enredo ambientado na América do Norte durante sua época de independência também trará novos ares. Enquanto que a arquitetura e o terreno permaneceram muito parecidos ao longo de toda a série, o novo game deve abordar culturas, pessoas e histórias bem diferentes.

Saem o glamour e a “classe” das famílias tradicionais da Itália renascentista e entram os camponeses simples, sobrevivendo em cabanas no novo mundo. O próprio protagonista, Connor Ratohnhaké:ton, tem suas origens nos indígenas. Um detalhe interessante é que o jogo se situa nos Estados Unidos, o que pode significar que as dublagens que puxam palavras de outras línguas diferentes do inglês vão estar menos presentes, marcas registradas de Ezio em AC 2.

Outras informações reveladas pela Ubisoft explicam mais sobre a personalidade de Connor. Enquanto que Altair tinha um senso de dever e Ezio era movido pela vingança, o novo protagonista tem um grande sentimento de justiça. Ele é arrastado à guerra civil para proteger seu povo no início do game e acaba se tornando um assassino depois de certo ponto, sendo que tudo isso deve ocorrer ao longo de 35 anos da vida de Connor.

Como de costume, Assassin’s Creed 3 também vai ter um forte apelo à história. Além de poder conversar com o próprio George Washington, Connor também vai interagir com outras figuras importantes da independência americana, permitindo que os fãs conheçam Marquis de Lafayette e Charles Lee. No lugar de Leonardo da Vinci, teremos Benjamin Franklin suprindo o papel de ajudante quando o auxílio em assuntos tecnológicos e culturais for necessário.

Encontrando o seu lugar na batalha

Por mais que Connor acabe se aliando ao lado dos revolucionários em certo ponto, o protagonista continua atuando de forma neutra em seu próprio caminho, e não está diretamente atrelado a nenhum exército. Falando em exército, já é confirmado que a nova engine do game vai suportar batalhas com milhares de soldados animados na tela.

Este tipo de luta também deve introduzir uma nova mecânica de combate. Connor não vai poder se lançar frente aos mosquetes das tropas inimigas, obrigando você a pegar cobertura enquanto eles atiram. Porém, vai chegar a hora em que o demorado processo de recarregar o próximo tiro precisa ser feito, momento mais oportuno para você sair do abrigo e investir sobre os oponentes.

A nova mecânica também vai permitir que você atue de forma stealth mesmo durante as batalhas com armas de fogo, algo parecido com o que se via no filme “O Patriota” estrelado por Mel Gibson, que contava com a mesmíssima temática e situações bem semelhantes.

Vale a pena conferir?

Vale. Ainda é cedo para dizer se Assassin’s Creed 3 pode concorrer ao Game of The Year, mesmo assim, não estamos mais falando de uma simples extensão da “trilogia de Assassin’s Creed 2”, e sim de um algo realmente novo e que já está em produção há mais de dois anos.

Por mais que você tenha adquirido um certo preconceito depois de ver os outros games da série mudarem pouco ao longo de tantos anos, desta vez, parece que reencarnar em mais um dos antepassados de Desmond será algo realmente inédito e memorável.

Fonte: Baixaki Jogos

Novo vídeo de Ghost Recon Online e closed beta

Ghost Recon Online da Ubisoft vai entrar em período de tesde em closed beta em 5 de março. Se você estiver interessado em entrar, você pode se inscrever pelo site oficial. E se você ainda não ouviu falar de Ghost Recon Online, você pode encontrar mais da jogabilidade na nossa cobertura anterior.

Ghost Recon Online é um Shooter free-to-play para PC e Wii U que será lançado em 22 de maio de 2012.
Fonte: Pc/Ign

Ubisoft acredita que série Assassin’s Creed pode ser infinita

Atualmente a série Assassin’s Creed é um dos grandes pilares da Ubisoft. O lançamento de Revelations este ano e um novo jogo já confirmado para 2012, dá continuidade assim à politica de lançamento anual.

Em entrevista com o Alistdaily, Tony Key, vice-presidente de vendas e marketing da companhia gaulesa, quis defender a companhia das criticas quanto à politica aplicada na série.

“Uma das complicações é lidar com a percepção de que não estamos empregando tempo suficiente no desenvolvimento de cada jogo. Com Brotherhood tivemos que lutar com a ideia de que o mesmo seria lançado um ano depois de Assassin’s Creed 2. Quem quer que pense que trabalhamos no multiplayer por apenas um ano está muito enganado. Por isso uma das grandes questões é convencer as pessoas do quão interessante era o jogo tanto no online como no single player.”

Key explicou que trabalham mais de um ano em cada jogo, algo que já é costume e que continuará a ser, uma vez que têm vários estúdios e que a marca Assassin’s Creed é muito importante.

“Temos pessoas a pensar constantemente na série, trabalhando em futuras interações. Enquanto estes jogos estão sendo feitos, pensamos em outros. Não fazemos os jogos de Assassin’s Creed num ano. Isso é uma coisa que queremos que as pessoas percebam e espero que compreendam a mensagem,” acrescentou ele.

Na sua opinião, o enredo da série pode ser expandido infinitamente, apelando a diferentes histórias que poderão envolver tanto personagens conhecidas como totalmente novas.

“Com esta série podemos chegar onde quisermos. Como dissemos anteriormente este é o final da trilogia de Ezio: é um grande momento para chegar à franquia e qualquer pessoa que tenha jogado aos jogos anteriores terá a satisfação de que necessita.”

Fonte: Eurogamer

Ubisoft lança no Brasil Rocksmith, o único game que permite jogar com uma guitarra de verdade

Com tecnologia inédita, jogo vem com cabo especial para ser acoplado à guitarra e dá ao jogador a oportunidade de desenvolver habilidades reais de um guitarrista e reproduzir músicas da mesma maneira como são originalmente tocadas. Rafael Bittencourt, guitarrista do Angra, jogou e aprovou!

Rafael Bittencourt, guitarrista do Angra jogando Rocksmith

São Paulo – 21 de novembro de 2011 – A Ubisoft acaba de anunciar que Rocksmith já está nas lojas brasileiras esperando por candidatos a pop star. Com proposta inédita, o jogo permite que se aprenda a tocar uma guitarra de verdade utilizando o videogame como meio e o instrumento real como joystick. Em versões para Xbox 360 e PS3, o jogo custa R$279,90 e vem com o cabo Real Tone de ¼ de polegada, desenvolvido exclusivamente para o game. Este cabo revolucionário transforma o sinal analógico em digital, permitindo, pela primeira vez na história, que se toque uma guitarra de verdade utilizando um videogame.

“Entre meus amigos da música, sempre discutimos porque não faziam um jogo musical com instrumentos de verdade. Quando liguei o Rocksmith pela primeira vez foi um momento de grande realização. Nós fomos ouvidos!”, afirmou Rafael Bittencourt, guitarrista do Angra. “A Ubisoft elevou os jogos de música a um novo patamar, passou da experiência virtual para a real. Sinto que poderei utilizar o Rocksmith em aulas e workshops como um instrumento de ensino”

Ao ligar o console e inserir o CD de Rocksmith, o jogador terá a oportunidade de desenvolver habilidades reais de um guitarrista e reproduzir músicas da mesma maneira como são tocadas originalmente pelos artistas. Com jogabilidade que se ajusta automaticamente à capacidade de cada jogador, o nível de dificuldade aumenta de acordo com a performance de cada um, desde o básico até o profissional.

imagem

Conforme os jogadores progridem, novos modos de jogo são desbloqueados para aprimorar habilidades específicas. Rocksmith trabalha todas as técnicas necessárias para se tocar uma guitarra de verdade e os gamers terão a oportunidade de testar seu talento e popularidade em shows virtuais, com direito a muitos aplausos e animação.

Caixa de texto: “Foi bom ver os temas dos meus grandes ídolos em jogos virtuais, mas a guitarra de mentira era um desconforto pra mim. A proposta de tocar um instrumento falso afastava as pessoas com talento potencial da real experiência de se fazer música. Afinal, o que irá manter o rock vivo são os músicos de verdade, não os campeões virtuais” Rafael Bittencourt, guitarrista do Angra.

“Em um país com tanta tradição musical como o Brasil, Rocksmith não substituirá a função do professor de guitarra, mas tornará o aprendizado uma experiência ainda mais rápida e divertida. Queremos atingir as pessoas que nunca tocaram, mas também aqueles que desistiram de aprender ou progredir por qualquer motivo, oferecendo uma metodologia inovadora que se adapta automaticamente ao nível de cada um.”, disse Bertrand Chaveror, diretor geral da Ubisoft Brasil.

Rocksmith vem com uma extensa lista de músicas, que inclui clássicos do passado e hits da atualidade. É só ligar o videogame, escolher uma música, plugar a guitarra e começar a jogar/ tocar.

Fonte: GameVicio

Assassin’s Creed Revelations: O que esperar das revelações?

Segundo a Ubisoft, ACR será o fim da trilogia que se iniciou em AC2, concluindo a história de Ezio Auditore da Firenze, fechando pontas soltas na história de Altaïr e da primeira civilização. Nesse título, Ezio fará uma jornada em busca de conhecimento e mistérios ao seguir os passos de seu antecessor Altaïr Ibn-La”Ahad, começando pela cidade de Masyaf, como no primeiro jogo da série. Uma das novidades é que a história ocorrerá em sua maioria na cidade de Constantinopla, 60 anos depois da queda do Império Bizantino. Ezio, a título de curiosidade, está com 50 anos, quebrando todas as regras da expectativa de vida da população na época e de seu próprio estilo de vida. Esse cara é bom!

Ainda sobre Constantinopla, a cidade é vasta e complexa, o que será um grandedesafio para Ezio. Pra se ter uma idéia, a cidade abrange parte na Europa e outra na Ásia e será dividida na história em quatro distritos: Constantin, Beyazid, Imperial e Galata. Outra cidade que está no contexto é a Capadócia, onde se esconde uma fortaleza subterrânea dos Templários.

Sobre as personalidades históricas que fazem o jogo ser o que é, foram inseridos no contexto Manuel Palaeologos, imperador Bizantino que teve ligações com os Templários e Príncipe Suleiman, décimo sultão do Império Otomano (com 17 anos no jogo) que, futuramente, seria conhecido como Solimão, o Magnífico.

Sobre a jogabilidade do game, um novo sistema de treinamento de assassinato será utilizado e, dizem, está muito mais interessante. O conceito das Torres Bórgia foi expandido para Covis de Assassinos. Após uma região ser tomada e instalar aprimoramentos, será possível criar sua própria torre de guarda, mas como tudo na vida, essas torres podem ser atacadas e perdidas. Para evitar que isso aconteça, mesmo esquema de Warcraft e Age of Empires: bote um grupo para defendê-las e aniquile seus atacantes. A “Visão de águia”se transformou no “sentido de águia” e, com ele, será possível prever o padrão de patrulha de oponentes e correr adiante para criar qualquer tipo de empecilho.

Ezio terá uma nova ferramenta: um gancho com cabo. Isso pode ser instalado de região a região, o que facilita a movimentação pela cidade. Claro que você poderá usar esse gancho como arma de ataque, no melhor estilo “Get Over Here” do Scorpion. Outra coisa são os 300 tipos de bombas diferentes que terão aplicações específicas, o que “facilita” o serviço de Ezio.

O modo multiplayer está mais focado em narrativa e integrará melhor a franquia. Para se ter uma idéia da amplitude do modo, será possível também personalizarpersonagens, armamentos e criar guildas de assassinos. Ponto para a Ubisoft.

Nem será preciso falar da qualidade dos gráficos, mas um diferecial foi utilizado: captura de expressões faciais, que possibilita realismo nas emoções e que podem ser chaves para qualquer tomada de decisão do personagem.

Para lançar o jogo, A Ubisoft relançou aqui no Brasil os três primeiros jogos com preços reduzidos. Essa medida, além de lutar pelo preço justo deste tipo de artigo no Brasil, visa aumentar a quantidade de fãs da Franquia e preparar o mecado para o lançamento de ACR em novembro.

Fonte: Metrojogos

“I Am Alive” é jogo por download e chega para PS3 e X360 no final do ano

Este slideshow necessita de JavaScript.

Com o perdão do trocadilho, “I Am Alive” finalmente provou que está vivo. Depois de vários adiamentos, a produtora Ubisoft anunciou que o jogo chega às redes do Xbox 360 e PlayStation 3 no final do ano. Nada foi dito sobre o preço do download.

“I Am Alive” apresenta uma visão única em um cenário pós-apocalíptico e no gênero de sobrevivência por criar situações complexas e que mexem com o emocional do jogador. O Xbox Live Arcade e a PlayStation Network são os locais perfeitos para alavancar as experiências desafiadoras do jogo”, disse Adam Novickas, diretor de marketing da Ubisoft.

Com esse anúncio, a Ubisoft acaba voltando atrás na ideia de que “I Am Alive” não seria lançado por download. Depois de um engano, o site JeuxVideo, que deu a notícia de que o jogo seria lançado digitalmente, teve que pedir desculpas aos leitores – ao que tudo indica, sem motivo.

Revelado durante a E3 2008, “I Am Alive” conta a história de Adam Collins, sobrevivente de um terrível terremoto na cidade de Chicago que tenta encontrar sua mulher e filha. Com um grande foco na parte emocional dos personagens, o jogador deverá guiar Collins nesta luta pela sobrevivência, encontrando mantimentos e tentando lidar com outras pessoas que farão de tudo para se manterem vivos no meio deste caos. Itens serão escassos, seja uma arma de fogo com munição ou uma garrafa de água.

Fonte: Uol Jogos

Assassin’s Creed Revelations Beta na PSN

Este slideshow necessita de JavaScript.

Hoje, a Ubisoft revelou que Assassins Creed Revelations receberá um multiplayer beta na PlayStation Network. Com início em 03 de setembro, os assinantes da PlayStation Plus e membros Uplay serão os únicos capazes de fazer o download do beta.

Os jogadores terão acesso a nove personagens (The Sentinel, The Vanguard, The Guardian, The Vizir, The Thespian, The Diacon, The Bombadier,The Trickster e The Champion), três mapas(Hospital Knight, Antioch e Constantinople), e quatro modos (Wanted, Manhunt, Deathmatch e Artifact Assault).

O beta terá duração até 11 de setembro. Não se sabe quando a versão beta virá para o Xbox 360, embora espera-se que ele encontre o seu caminho para a Xbox Live.

Fonte: IGN
Tradução: Lucas A. Pereira