Tu já jogou LEGEND OF LINQUI ?

É serio

Então, esse é um projeto da página “Linqui du zeuda”, que faz tirinhas e zueras tendo como tema a nossa amada franquia LEGEND OF ZELDA.

O criador da página resolveu então reunir essa zueras e memes da internet para criar um jogo próprio. O game traz elementos de plataforma e RPG em 2d com gráficos  parecido com 16 bits.

linqui

 

O jogo ainda está sendo desenvolvido e pode demorar um pouco a sair, mas já foram feitas algumas DEMOS,  que podem ser vistas  aqui no canal do Math Dark Gamer, então ve ai como  o jogo está ficando   >>

Anúncios

Belos gráficos ainda são referência de qualidade nos jogos?

O que define um game simplesmente imperdível?

Quanto a qualidade gráfica de um jogo realmente representa? Digamos, a despeito do áudio, da incrível jogabilidade e do bom humor… Qual é, exatamente, o peso que um verdadeiro espetáculo visual tem na hora de formar o legado de um jogo?

Talvez o caminho mais rápido e fácil aqui fosse o de simplesmente desmerecer os belos polígonos virtuais que constituem os jogos modernos; isso a fim de chamar a atenção para um discurso que, hoje, já é quase senso-comum: “o que importa mesmo é a qualidade da experiência de um jogo”.

Entretanto, parece que mesmo a porção mais “cult” da indústria do entretenimento eletrônico teve que aprender a “enxergar” que, de fato, os gráficos hoje em dia têm um peso muito maior do que já tiveram um dia.

Afinal, mesmo sem apostar em uma realidade em que “bons jogos” sejam “jogos com bons gráficos”, é impossível descartar a importância das modernas tecnologias gráficas para o atual estágio de desenvolvimento dos games, sobretudo no que se refere às proporções atualmente conquistadas. Que o diga aquele famoso designer de civilizações antigas…

A sedução das imagens com Belos gráficos como uma porta de entrada para novos jogadores

Mesmo o mais cético dos jogadores provavelmente teria dificuldades para fingir indiferença diante de alguns dos jogos mais belos e realistas da atual geração. Títulos como Heavy Rain ou, mais recentemente, Battlefield 3, crysis 2, Uncharted 3 entre outros, trazem consigo um diferencial à toda prova: o apelo imediato aos nossos sentidos.

Por isso mesmo, provavelmente seria difícil imaginar uma forma mais eficiente de avançar com as trincheiras do entretenimento eletrônico sobre novos públicos. “Eu costumava adorar a ideia de desafiar a imaginação dos jogadores”, afirmou o lendário Syd Meier em entrevista ao site Game Informer. “Mostrava a eles alguns poucos pixels em 16 cores e tentava convencê-los de que controlavam um império que deveria sobreviver ao teste do tempo”.

Entretanto, o designer conclui: “mas eu penso que, hoje, os jogadores realmente não estão mais dispostos a fazer esse investimento, então nós vamos trazer à vida mundos em 3D”. Para Meier, entretanto, as possibilidades trazidas pelas novas tecnologias gráficas foram capazes de ampliar o mercado atual de games de uma forma que teria sido impossível há alguns anos. “Você deve ignorar a sua descrença e estar disposto a entrar nesse mundo”.

Dessa forma, é bastante provável que os espetáculos visuais da atual geração tenham arregimentado uma enorme quantia extra de jogadores ? eventualmente, retirando-os das poltronas dos cinemas. Entretanto, há uma pergunta que ainda deveria ser feita aqui: por quanto tempo ainda os gráficos conseguirão manter novos e velhos jogadores ligados a uma experiência de jogo?

A lição da Nintendo é Menos gráficos e mais criatividade?

Talvez seja uma verdade quase incontestável que o rápido e constante crescimento do poderio gráfico acabou por funcionar como uma verdadeira locomotiva para a indústria de jogos se não acredita, basta lembrar-se de uma época em que “video games” eram apenas uma curiosidade tecnológica.

Entretanto, há quem aposte que essa hegemonia (responsabilidade?) deve sofrer algumas mudanças durante as próximas gerações. Afinal, quem não se surpreendeu com o sucesso esmagador do Nintendo Wii, talvez não o melhor “video game” para alguns críticos… Mas certamente um dos melhores produtos trazidos pelo entretenimento eletrônico em vários anos, conforme vários números deixaram claro durante muito tempo.

Para o presidente da Electronic Arts, Peter Moore, o grande motivo gerador da atual geração são as experiências.”É difícil ver o quão além nós ainda poderemos ir, partindo de uma perspectiva baseada no realismo e na fidelidade dos gráficos”, afirmou Moore em entrevista à revista EDGE.

Ele continua: “a Nintendo surpreendeu muita gente como Wii. ‘Nós teremos diversão, e não haverá nem mesmo pernas e braços em alguns personagens. Você quer conectividade online? Nós não temos isso. Você quer gráficos em alta definição? Isso nós também não temos’. O futuro não deve ser ditado por tecnologias de ponta, mas sim por experiências únicas”. Enfim, talvez o futuro esteja em algum lugar entre os belos gráficos e o chacoalhar em frente a sensores de movimento… Façam suas apostas.

Fonte: Tecmundo

Nintendo lançará livro com a história da série Zelda no Japão

A Nintendo revelou hoje que lançará no Japão um livro ilustrado contendo artes e informações a respeito da história da série The Legend of Zelda, que recentemente completou 25 anos de existência.

Hyrule Historia

Batizado de Hyrule Historia, o livro chegará às lojas japonesas no dia 21 de dezembro, e custará 3.255 ienes (cerca de 80 reais). Ele terá 274 páginas, sendo que 32 delas serão de uma história em quadrinhos inédita baseada no recém-lançado Skyward Sword.

Fonte: Wii Brasil

Os 15 melhores mundos fantásticos em jogos

Um dos grandes entretenimentos da nossa era, os games nos fazem mergulhar em mundos fantásticos, nos colocando na pele de personagens intrigantes para chegar a algum lugar. Confira algumas das histórias de jogos mais legais já criadas:
1 – TAMRIEL (ELDER SCROLLS)

imagem

O continente de Tamriel, ambiente dos jogos de Elder Scrolls, existe no mundo fantástico de Nirn. Tamriel é dividido em nove províncias, e outros continentes são citados na série (mas não explorados). Elder Scrolls V é na terra de Skyrim, um país destruído pela guerra civil. A cada novo jogo da série, Tamriel se consolida como um dos mundos fantásticos mais interessantes.

2 – MUSHROOM KINGDOM (MARIO)

imagem

O Reino dos Cogumelos, o ambiente de vários dos jogos do Mario, é um ícone por suas chaminés, alegres homens maus, abismos sem fundo e um vasto número de castelos onde a princesa pode estar escondida. O colorido e vibrante Mundo dos Cogumelos é um dos mais entusiasmantes de todos os jogos.

3 – HYRULE (ZELDA)

imagem

A Terra de Hyrule, local de muitas aventuras de Link, é talvez tão famosa quanto seus personagens. Pisar na Terra de Hyrule, em Ocarina of Times, permanece como um dos momentos mais memoráveis dos jogos, e sabendo o quão desejável ela é, não é de se espantar que Ganondorf queira a possuir sempre. Wind Waker prova que mesmo quando Hyrule está inteiramente inundada, continua sendo um ótimo local para explorar.

4 – POKÉMON REGIONS (POKÉMON)

imagem

Kanto, Johto, Hoenn, Sinnoh, Unova: as cinco principais regiões onde os jogos Pokémon acontecem. Para cada nova região, uma nova geração de pokémon, um novo time de líderes para derrotar e uma nova Elite Quatro para batalhar. Mesmo que as regiões Pokémon não sejam totalmente distintas no jogo (até porque elas estão em um mundo simplesmente chamado de “Mundo Pokémon”), ela ainda assim são um aspecto importantíssimo no jogo.

5 – ALBION (FABLE)

imagem

A terra ficcional de Albion, ambiente para a série Lionhead’s Fable, é um personagem por si só. Com um pouco de Terry Pratchett, pitadas de humor britânico e referências pop contemporâneas, Albion estabeleceu-se como um mundo extremamente importante nos jogos de fantasia.

6 – THE FORGOTTEN REALMS (BALDUR’S GATE & OUTROS)

imagem

Os Reinos Esquecidos é um ambiente de Dungeons & Dragons, trazido ao público em jogos como Baldur’s Gate, Icewind Dale e Neverwinter Nights. Descrito como um mundo paralelo ao nosso, os Reinos Esquecidos são um lugar de perigo, magia, violência e bardos viajantes. Apesar de existirem muitos mundos similares, os Reinos Esquecidos é um dos mais notáveis, graças a sua popularidade.

7 – GAIA (FINAL FANTASY VII)

imagem

O mundo de Gaia, ou “O Planeta”, é um híbrido de ficção e fantasia, onde o mundo está em um estado de revolução industrial, corporações crescendo em cidades esfumaçadas e poluídas. Há um elemento de eco ativismo no jogo, com uma clara distinção entre Midgar, a cidade principal, e o interior do mundo, intocado pela tecnologia avançada.

8 – LORDRAN (DARK SOULS)

imagem

Lordran, ambiente do recente Dark Souls, é um local melancólico e cruel, assombrado pelos fantasmas dos mortos e moribundos. De vários modos, é uma fantasia pós-apocalíptica, com Londran em estado de ruínas. É uma terra fria e não receptiva que desafia, e de todas as citadas nessa lista, tem, talvez, a atmosfera mais sinistra.

9 – SOSARIA/BRITANNIA (ULTIMA SERIES)

imagem

A série Ultima, de Richard Garriot, começa em Sosaria, um mundo fantástico que logo foi dividido pela Idade das Trevas (nos primeiros três jogos). Ele ficou conhecido depois como Britannia, devido ao seu imperador, Lord British. Com vários jogos, incluindo nove principais, um MMO de sucesso e ótimas explorações de cavernas, o mundo de Britannia é muito famoso entre os jogadores de RPG.

10 – SANCTUARY (DIABLO)

imagem

O mundo de Sanctuary é habitado por deuses e demônios, onde Céu e Inferno são espaços físicos e a maldade tenta constantemente dominar. Diablo III, que está para chegar, continua a história de Sanctuary, com uma mudança na geografia do mundo, mas ainda oferecendo aos jogadores a chance de revisitar áreas, incluindo a cidade de Tristam.

11 – AGES (MYST)

imagem

A série Myst acontece em diferentes eras. Talvez a mais notável seja a era de Riven, que possui um jogo com o mesmo nome, mas o Myst original possui várias delas. Acessadas por livros encontrados pelo jogador, e cada uma contendo desafios para resolver e mistérios para desvendar, Myst é um dos jogos de aventura mais famosos do nosso tempo.

12 – ARCADIA/STARK (THE LONGEST JOURNEY, DREAMFALL)

imagem

Os mundos de Arcadia e Stark formam o ambiente de The Longes Journey. Arcadia é um mundo de mágica e fantasia, enquanto Stark é baseado na ciência e tecnologia. Os dois são icônicos, com um enredo de personagens e alegorias de ambos os gêneros da fantasia e da ficção científica.

13 – WONDERLAND (AMERICAN MCGEE’S ALICE)

imagem

A versão de American Mcgee para o famoso País das Maravilhas é grotesca e violenta. Com um imaginário de insanidade, luto e horror, está muito longe de ser como a versão da Disney, e um ótimo exemplo de um mundo fantástico sendo adaptado para outro meio novo.

14 – MIDDLE EARTH (LORD OF THE RINGS)

imagem

Apesar das Terras Médias serem muito maiores do que parecem nos jogos, é inquestionável que é o ambiente fantástico mais famoso de todos. O mundo criado por Tolkien, com homens, anões e elfos, ajudou a dar forma a gerações inteiras de histórias fantásticas. As adaptações para videogame do Senhor dos Anéis podem ser diferentes quanto a qualidade, mas jogos como O Senhor dos Anéis Online, que o deixa livre para fazer sua história nas Terras Médias, são obrigatórios para os fãs da série épica de Tolkien.

15 – AZEROTH (WORLD OF WARCRAFT)

imagem

Local da maior comunidade de jogadores online do mundo, Azeroth é composto por três continentes, abrigando inúmeras espécies e raças, cada uma com suas tradições e legado. No pacote de expansão Cataclysm, Azeroth foi dividido, modificando suas terras. É essa eterna evolução, riqueza de detalhes e originalidade que possivelmente fazem de Azeroth o melhor mundo de fantasia de todos os jogos.

Fonte: Hypescience

Usuário da IGN cria linha do tempo comemorativa de The Legend of Zelda

Todos sabemos que a linha do tempo oficial de The Legend of Zelda é um segredo guardado a sete chaves por Shigeru Miyamoto e Eiji Aonuma. Conversar sobre a cronologia de Zelda é como conversar sobre futebol ou religião, pois geralmente acaba terminando em discussão. Com a proximidade do lançamento de Skyward Sword, um usuário do IGN fez uma linha do tempo comemorativa para a série Zelda.

Esta linha do tempo não faz conexões com os jogos. Ela apresenta quais jogos foram lançados e re-lançados para os respectivos consoles desde 1986, ano de lançamento do primeiro The Legend of Zelda.

Fonte: Nintendoblast

Zelda Skyward Sword’s terá entre 50 à 100 horas de jogo com direito a boss challenge

 Se voce esta com saudades dos jogos harcore RPG’s que voce ficava horas e horas querendo descobrir todos os segredos e explorar o jogo ao maximo, o novo Zelda da Nintendo parece que definitivamente resgatará essa magia. Ja foi comunicado a impressa que Skyward Sword’s será o melhor jogo Zelda já feito e com certeza garantirá uma vaga a varias premiações nesse ano e talvez a um possivel GOTY, já que o jogo sempre é extremamente bem recebido pela critica, essa ano titulos como Battlefield e Call of Duty irão movimentar seus bilhoes de dolares em receitas do mundo todo, mas jamais tiraram o brilho e a magia que Zelda irá encarnar.

Foi anunciado que Zelda Skyward Sword’s terá “segundo playthrough (fora do jogo) e um modo maximo de desafios chamado de “boss challenge” 

Se você pensou em não adquirir a mais recente missão de Link, pense novamente. Durante a conferência de imprensa da Tokyo Nintendo Game Show, a empresa afirmou que o jogo terá um ” segundo playthrough ” e um modo de desafio chefe que equivale entre 50 e 100 horas de jogo. Detalhes específicos sobre o que exatamente esses modos proporcionam não foi anunciado, mas foi confirmado que Skyward Sword usará um sistema de sugestão (hint system) semelhante ao de The Legend of Zelda: Ocarina of Time 3D.

Fonte: GameVicio